As origens do NTAAI – Núcleo de Tecnologia Assistiva, Acessibilidade e Inovação da Universidade de Brasília remontam ao momento em que a SECIS – Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social do então MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação publicou o documento de referência para apresentação, habilitação e seleção de projetos para o Programa de Apoio à Pesquisa, Inovação e Extensão Tecnológica para o Desenvolvimento Social.

DOCREFERÊNCIA-EXTENSÃO_ versão final 29_08_11

Naquela ocasião, a Portaria 23 de 18 de agosto de 2011 dispos sobre a apresentação de propostas para a implantação de Telecentros junto à SECIS para habilitação e seleção nas quais nosso grupo de professores da Universidade de Brasília, com histórico de produção na área de Tecnologia Assistiva, foi motivado a construir um projeto (termo de referência consolidado) para implantação da Rede de Cooperação para Pesquisa, Inovação e Extensão em Tecnologia Assistiva e Acessiblidade para o Desenvolvimento Social, o embrião do NTAAI.

Alguns meses depois, pela Portaria 7 de 06 de outubro de 2011, nasce o NTAAI, classificado como o 15ª proposta dos primeiros 27 núcleos do Brasil para desenvolver e inovar na temática de Tecnologia Assistiva, vinculado ao CNRTA – Centro Nacional de Referência em Tecnologia Assistiva (205323625fd86f9c3b45cf43e5ec6320_Inauguração do Centro Nacional de Referência em Tecnologia Assistiva).

PORTARIA Nº 7, DE 06 DE OUTUBRO DE 2011

PORTARIA Nº 8, DE 17 DE OUTUBRO DE 2011

Naquele mesmo ano, o Decano de Administração da Universidade de Brasília, pelo Ato 406/2011 (ato DAF gestor termo cooperação MCTI), designou o professor Emerson Fachin Martins e o professor Antônio Padilha Lanari Bó como gestor e gestor substituto do Convênio FUB-MCTI (código FUB 8246) para a formação inicial do NTAAI.

Gestores da primeira formação do NTAAI – Núcleo de Tecnologia Assistiva, Acessilbidade e Inovação da Universidade de Brasília.

Assim, no final de 2011, iniciou-se a primeira formação do NTAAI com quatro projetos incluídos na proposta que envolvia 4 Unidades Acadêmicas da Universidade de Brasília e 5 docentes de distintas formações (Fisioterapeuta, Pedagoga, Engenheiro Elétrico, Tradutor e Intérprete), porém com algo em comum: habilidade e competência para desenvolver e inovar em Tecnologia Assistiva.

Primeira formação do NTAAI – Nucleo de Tecnologia Assistiva, Acessibilidade e Inovação da Universidade de Brasília. Em sentido horário: Prof. Dr. Emerson Fachin Martins (Faculdade de Ceilândia), Profa. Me. Patrícia Neves Raposo (Faculdade de Educação), Prof. Dr. Antônio Lanari Padilha Bó (Faculdade de Tecnologia), Profa. Dra. Soraya Ferreira Alves e Profa. Dra. Helena Santiago Vigata (Instituto de Letras).

O NTAAI começou então a atrair novos docentes e, em 2012, tivemos a inclusão no grupo da Profa. Letícia Gonçalves Nunes Coelho, do Intituto de Física da Universidade de Brasília, contribuindo para a segunda formação desse núcleo.

Segunda formação do NTAAI – Núcleo de Tecnologia Assistiva, Acessibilidade e Inovação da Universidade de Brasília.

E não paramos por aí. Em 2013, tivemos a oportunidade de concorrer à Chamada MCTI-SECIS/CNPq 84/2013 – Tecnologia Assistiva (Chamada), quando agregamos ao núcleo mais quatro pesquisadores, totalizando 10 professores, de 8 unidades acadêmicas, de 3 dos 4 campi da Universidade de Brasília (Campus Darcy Ribeiro, Campus de Ceilândia e Campus do Gama). Na ocasião, fomos contemplados com recursos financeiros para o projeto Rede de Estudos para o Desenvolvimento de Pesquisa e Inovação em Tecnologia Assistiva (CNPq TA 2013 NTAAI UnB Versão Final).

Terceira formação do NTAAI incluindo (sentido horário começando do topo) os pesquisadores Emerson Fachin Martins e Felipe Augusto dos Santos Mendes da Faculdade de Ceilânida, Patrícia Neves Raposo da Faculdade de Educação, Antônio Padilha Lanari Bó da Faculdade de Tecnologia, Wilson Henrique Veneziano do Departamento de Ciências da Computação do Instituto de Ciências Exatas, Suélia de Siqueira Rodrigues Fleury Rosa da Faculdade do Gama, Renato Malcher Lopes do Instituto de Biologia, Letícia Gonçalves Nunes Coelho do Instituto de Física, Soraya Ferreira Alvez e Helena Santiago Vigata do Instituto de Letras.

Ao final de 2013, já éramos quase 100 núcleos distribuídos pelo Brasil e vinculados ao CNRTA.

Passamos a configurar no cenário nacional juntamente com outros quase 100 núcleos vinculados ao CNRTA.

Nos anos seguintes, adotamos uma sistemática de trabalho cooperativo em rede de interação que a cada semestre se reconfigura para cumprir a grande missão do NTAAI de desenvolver e inovar na temática de Tecnologia Assistiva. A partir de 2014, o NTAAI se internacinalizou, com parcerias com o INRIA na França (https://www.inria.fr/en/associate-team/cacao) e com a The Univesity of Sydney na Austrália.

Pesquisadora Dra. Christine Azevedo Coste, líder da parceria francesa da equipe associada CACAO.

Pesquisadora Dra. Lisa Ann Harvey da The University of Sydney, colaboradora nas pesquisas envolvendo TeleHealth (eHealth).

Em 2016, assumimos uma identidade visual, cuja marca foi registrada junto a Universidade de Brasília.

Identidade visual do NTAAI – Núcleo de Tecnologia Assistiva, Acessibilidade e Inovação da Universidade de Brasília cuja marca possui registro número 00038174000143 no INPI.

O NTAAI também conta hoje com parcerias nacionais fora da Universidade de Brasília, incluido a Universidade Federal de Minas Gerais, Centro Universitário Estácio do Ceará e a Universidade Federal do Ceará.

Professor e pesquisador Dr. Henrique Resende Martins, líder do Laboratório de Engenharia Biomédica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Professora e pesquisadora Dra. Michelle Rabelo, líder da parceria com o Centro Universitário Estácio do Ceará.

 

Professora e pesquisadora Dra. Lidiane Oliveira Lima, líder da parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC).